Out 18

Lisboa Cinzenta

Dia cinzento em Lisboa. As nuvens preenchiam o céu e a água caía. Porém, os alunos dos 2.º e 3.º anos do Curso Profissional de Turismo foram pelas 9:30h visitar o Teatro D. Maria II em Lisboa, no qual tiveram uma visita guiada pelo interior do teatro, de modo a observarem e a perceberem os procedimentos realizados antes de uma peça. O que mais os fascinou sobre a história do teatro foi o facto de este ter sido sede da Inquisição e a sua evolução. Em 1964, o Teatro Nacional foi palco de um brutal incêndio que apenas poupou as paredes exteriores e a entrada do edifício. O edifício que hoje conhecemos, e que respeita o original estilo neoclássico, foi totalmente reconstruído e só em 1978 reabriu as suas portas.

De seguida foram visitar a casa do Alentejo onde apreciaram o estilo da arquitetura árabe e as várias salas do restaurante que podem ser reservadas para a realização de festas privadas.

Deslocaram-se ainda à Sociedade de Geografia, uma sociedade científica criada em Lisboa no ano de 1875 com o objetivo de, em Portugal, se promover e auxiliar o estudo e incrementar o progresso das ciências geográficas e correlativas. A Sociedade foi criada no contexto do movimento europeu de exploração e colonização, sendo a sua atividade, desde o início, o de dar ênfase à exploração do continente africano, onde é possível contar a história dos descobrimentos portugueses.

Durante a tarde dirigiram-se até à Igreja de São Roque, onde os alunos do 11.º ano assistiram ao “Sermão de Santo António aos Peixes” e, de seguida, tiveram uma visita guiada às salas da mesma. Foram, ainda, ao Museu de São Roque, onde tiveram direito a uma visita grátis.

Como alunos do 3.º ano entendemos que estas visitas são muito importantes para melhorar a nossa cultura geral e para praticar a área do Turismo.

Veja as fotos aqui

Out 16

4 escolas do Agrupamento D. Maria II, implementam, em 2018/2019, o Projeto EPIS

EPIS

A Associação EPIS – Empresários Pela Inclusão Social, sem fins lucrativos, foi criada em 2006 por empresários e gestores portugueses, na sequência de uma convocatória à sociedade civil feita pelo Presidente da República, no seu primeiro discurso do 25 de Abril, proferido na Assembleia da República, e desde 2007, desenvolve um projeto nacional para a promoção do sucesso escolar em várias escolas do País.

  • Atualmente a EPIS tem o maior programa “não público” de promoção do sucesso escolar e de inclusão social de crianças e jovens em Portugal sendo a única organização em Portugal com metodologias próprias de promoção do sucesso escolar a abranger as idades dos 6 aos 18 anos e com plataformas informáticas que asseguram a escalabilidade nacional para as redes do Ministério da Educação.
  • Os programas da EPIS, em parceria com Autarquias e Ministério da Educação, destinam-se a todos os alunos dos 1º, 2º e 3º ciclos e secundário e são completamente gratuitos para os alunos e famílias.
  • A EPIS desenvolve programas em escolas de 44 concelhos em Portugal Continental e em 3 ilhas dos Açores.
  • Todas as metodologias utilizadas são pensadas e construídas por professores universitários das áreas da Psicologia, Serviço Social e Ciências da Educação.
  • Em cada concelho com programas EPIS existe um grupo de Mediadores (psicólogos ou professores com formação específica nas metodologias EPIS), com formação e acompanhamento especializado, que trabalham diretamente com os alunos sinalizados com risco de insucesso escolar.
  • O programa de promoção do sucesso escolar no 1.º Ciclo, assenta numa metodologia de treino de competências básicas de natureza neuropsicológica e socio-emocional dos alunos identificados, que lhes permitam atingir as metas preconizadas para os diversos anos e períodos do 1.º ciclo.
  • Os programas de promoção do sucesso escolar da EPIS, nos 2.º e 3.º ciclos e secundário, assentam numa metodologia de treino de competências não cognitivas de jovens em risco, com vista ao seu sucesso escolar, numa abordagem de mediação de 360º, fora da sala de aula, que inclui família, professores e comunidade envolvente.
  • Numa primeira fase, é realizado um questionário a cada aluno (previamente autorizado pelo seu encarregado de educação) para recolher informação que vai permitir caracterizar o tipo e grau de risco de insucesso escolar.
  • A informação recolhida individualmente é confidencial, sendo partilhados com a Direção da escola apenas os resultados globais dos questionários.

 

COMO FUNCIONA NA PRÁTICA?

“Geração de Sucesso – 1º Ciclo”

1. RASTREIO – durante o 1.º período letivo, para deteção precoce de um conjunto de fatores potenciadores de insucesso escolar presentes no Aluno, Escola e Família e que permite a seleção de alunos e famílias para intervenção, assim como a identificação de aspetos da escola e do território para ativação de recursos institucionais e comunitários.

2. PLANEAMENTO DA INTERVENÇÃO – a partir do 2.º período letivo, de acordo com o perfil de risco de cada aluno.

3. INTERVENÇÃO – Aplicação de um conjunto de estratégias e/ou técnicas, organizadas em guiões de intervenção passo-a-passo, para garantir a aquisição ou consolidação de competências neuropsicológicas (ex., atenção, memória de trabalho, autorregulação), para treinar competências cognitivas (ler, escrever, calcular, abstrair, resolver problemas matemáticos, interpretar textos), não-cognitivas (ex., competências sociais, cooperação) e para distribuir as tarefas de aprendizagem ao longo do dia e da semana a fim de promover as aprendizagens e, consequentemente, o sucesso escolar e a qualidade do mesmo (com monitorização e follow-up).

4. MONITORIZAÇÃO - Todos os períodos, são registadas as notas e comparadas com o ano anterior, procedendo a ajustes nas intervenções.

“Rede de Mediadores para o Sucesso Escolar  – 2.º/3.º Ciclo e Ensino Secundário”

1. SINALIZAÇÃO – Aplicação de um questionário de sinalização do Risco – Screening (3º Ciclo) ou Scoring (2º Ciclo) – a todos os alunos do 5.º (2.º Ciclo) /7.º ou 8.º ano (3.º Ciclo) / 10.º ano (Secundário), autorizados pelos EE, durante o 1º Período. Nota: o aluno sai da aula para realização do questionário.

2. ENCARTEIRAMENTO – No início do 2.º Período, constituição da carteira de 60-70 alunos com risco identificado pelo Screening/Scoring + Resultados Escolares do 1ºP, que serão acompanhados pelo Mediador EPIS até final do 9.º ano.

3. PLANEAMENTO DA INTERVENÇÃO – Início do trabalho individualizado, com elaboração de planos personalizados de acompanhamento dos alunos e família, com os módulos de trabalho adequados (“caixa de ferramentas EPIS”).

4. CAPACITAÇÃO – Até ao final do ciclo, são trabalhados estes módulos, individualmente ou em pequenos grupos, nos espaços temporais permitidos pelos horários escolares e da família.

5. MONITORIZAÇÃO - Todos os períodos, são registadas as notas e comparadas com o ano anterior, procedendo a ajustes nas intervenções.

Em Sintra, no ano letivo de 2018/2019, os Projetos EPIS estão implementados em 8 escolas: EB 2,3 D. Fernando II, EB 2,3 Mestre Domingos Saraiva, EB do Cacém (nº1), EB de Colares, EB Ribeiro de Carvalho, EB Vale Mourão, Escola Básica Alto dos Moinhos e Escola Básica e Secundária Gama Barros.

Grafico - Epis

Facebook

Instagram

Página Web

Out 16

Ação Agrupamento contra a Gripe 2018/2019

CentenarioNo âmbito das comemorações do Centenário da Gripe Pneumónica e à luz da flexibilidade curricular, do Perfil do Aluno e da Educação para a Cidadania/Educação para a Saúde e com o objetivo de promover o envolvimento da comunidade educativa, iniciamos nesta data a Ação Agrupamento contra a Gripe 2018/2019, tendo em vista a prevenção da gripe e outras doenças respiratórias na nossa Comunidade Educativa.

Out 13

O Agrupamento de Escolas D. Maria II participou no Movimento Gentil

Movimento gentilClique para assistir aos vídeos:

Vídeo 1

Vídeo 2

Vídeo 3

Vídeo 4

Out 05

Dia Mundial do Turismo

A Escola Básica e Secundária de Gama Barros não poderia deixar de se associar às comemorações do Dia Mundial do Turismo, que decorreram a 27 de setembro.  Representada pelo Curso Profissional Técnico de Turismo, as três turmas deste Curso planificaram e dinamizaram, para toda a comunidade educativa, uma exposição no Pavilhão E da Escola, subordinada ao tema Turismo Sustentável.

As Turmas dos 2.º e 3.º anos, praticando alguns dos conteúdos apreendidos nas aulas, nomeadamente Estruturas de Acolhimento e Técnicas de Acolhimento, Animação Turística, Qualidade e Comunicação dinamizaram uma sessão no Auditório da Escola aberta aos seus colegas e professores de outras turmas, que incidiu sobre a Importância da Sustentabilidade no Turismo.

Os alunos mais velhos deste Curso ainda elaboraram um trabalho de boas vindas ao Curso de Turismo para os seus colegas do 1.º ano.

A receção consistiu na apresentação de um PowerPoint elaborado por dois alunos do 3.º ano da Escola sobre as regras, normas de funcionamento e estratégias de sucesso deste Curso, seguida de um lanche convívio, oferta de professores e dos alunos envolvidos.

Veja as fotos aqui

Out 05

“Ver para crer”, com o Projeto Mãos Limpas, da ASAE

Nos dias 26 de setembro e 3 de outubro, as turmas de 9.º ano fizeram uma experiência, com controlo, utilizando caixas de Petri, com meios de cultura próprios para o desenvolvimento de bactérias e fungos.

Esta experiência serviu para “ver para crer”, a importância da lavagem eficaz das mãos, para prevenção da contaminação microbiológica e de eventuais riscos de doenças transmissíveis, para a própria pessoa e para os outros.

Estas atividades foram promovidas pelos professores Adérito Cunha e Isabel Marques, no âmbito do Projeto Exploratório de CN, com a colaboração das professoras Cláudia Dias, Isabel Dumiense, Lúcia Jorge, Rosário Cardoso e Teresa Madeira.

Ver-1Ver-2

Set 30

Cerimónia de entrega do Selo Escola eTwinning à Escola Básica e Secundária de Gama Barros/Agrupamento D. Maria II, Sintra

No dia 26 de setembro, realizou-se a cerimónia de entrega do Selo Escola eTwinning à Escola Básica e Secundária de Gama Barros/Agrupamento D. Maria II, Sintra.

A entrega foi feita ao professor António Gouveia, Diretor do Agrupamento, pela professora Ana Pina, embaixadora eTwinning, da DGE, na BE/CRE da escola sede.. Estiveram presentes os alunos do 2.º PTIS e do 9.º 5.ª, com as professoras Carla Frazão e Lina Pereira, a professora Angelina Fortes, Presidente do Conselho Geral do Agrupamento  e uma representação da Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola.

O Selo de Escola eTwinning foi introduzido em 2017 para reconhecimento e distinção à participação, empenho e dedicação  não só de professores, como a equipas de professores e diretores da mesma escola . O Agrupamento D. Maria II foi um dos 12 distinguidos na Região de Lisboa e Vale Tejo.

A candidatura a este Selo foi elaborada pela professora Lina Pereira, com a colaboração da professora Ana Paula Santos e do professor Adérito Cunha.

Selo eT

Set 28

Cerimónia de entrega do Selo Escola Amiga das Crianças à Escola Básica e Secundária de Gama Barros

No dia 26 de setembro, realizou-se a cerimónia de entrega do Selo Escola Amiga das Crianças à Escola Básica e Secundária de Gama Barros.

A entrega foi feita ao professor António Gouveia, Diretor do Agrupamento, pelo  Dr. José Manuel Gonçalves, da Direção Executiva da CONFAP, na BE/CRE da Escola. Estiveram presentes os alunos do 2.º PTIS e do 9.º 5.ª, com as professoras Carla Frazão e Lina Pereira, a professora Angelina Fortes, Presidente do Conselho Geral do Agrupamento  e uma representação da Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola.

Este Selo foi atribuído para distinção das seguintes quatro candidaturas da Escola ao concurso Selo Escola Amiga das Crianças:

- (Con)vivência intercultural;

- Eco-Lojinha de Solidariedade Social;

- Espaços verdes e outros, de recreio e convívio;

- Segurança digital.

As candidaturas foram elaboradas pelo professor Adérito Cunha, coordenador do Projeto Em Rede, que contou com a colaboração das professoras Carla Frazão, Lina Pereira e Rosário Portugal e dos professores António Ratão, António Silvano e Rui Correia.

selo escola amiga-2selo escola amiga-1

Set 22

Contratação de Escola 2017-2018

Lista Ordenada Final

Horário n.º 17 – Grupo de Recrutamento 290 – Educação Moral e Religiosa

Para consulta do documento, clique aqui

Set 21

Mensagem da Diretora-Geral da UNESCO por ocasião do Dia Internacional da Paz

Unesco-2Mensagem da Diretora-Geral da UNESCO
por ocasião do Dia Internacional da Paz
21 de setembro de 2018

“Não haverá paz neste planeta enquanto, algures no mundo, os direitos humanos forem violados.”

Neste Dia Internacional da Paz, as palavras de René Cassin, um dos artesãos da Declaração Universal dos Direitos Humanos em 1948, relembram-nos que a paz continua a ser um ideal inalcançável enquanto os direitos humanos fundamentais não forem respeitados. São, pois, a condição primordial de uma sociedade pacífica em que a dignidade de todos os indivíduos é respeitada e onde todos podem usufruir de direitos iguais e inalienáveis.

Estas palavras também nos relembram do nosso dever de solidariedade para com os nossos semelhantes; a paz é imperfeita e frágil se não beneficiar a todos e a todas. Os direitos humanos ou são universais ou não são. Esta ligação intrínseca entre paz e respeito pelos direitos fundamentais constitui o tema desta nova edição do Dia Internacional da Paz, no momento em que se celebra o 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Os ideais de paz e de direitos universais são, todos os dias, contestados e violados. Existem vários obstáculos para a sua realização. A nossa capacidade em edificarmos um mundo feito de harmonia, de compreensão e de coexistência pacífica é posta à prova pelos mais diversos desafios: desigualdades sociais e económicas que causam sofrimento e pobreza; alterações climáticas que geram novos conflitos; explosão demográfica que cria novas tensões… Por outro lado, propagam-se também novas formas de populismo e de extremismo em todo o mundo.

Para vencermos estes desafios, temos de agir de forma coletiva e construir, passo a passo, o edifício da paz. Este é o objetivo do Programa da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, que apela a uma ação concertada para alcançarmos os 17 objetivos de desenvolvimento sustentável, que contribuem para um mundo mais justo e mais pacífico – luta contra a pobreza, contra a fome, contra as desigualdades de género, promoção da educação, defesa da justiça, compromisso em favor de um ambiente saudável…

Todos os dias, a UNESCO, através dos seus programas e das suas ações no terreno, reafirma o seu compromisso original, consagrado no seu Ato Constitutivo: erguer os baluartes da paz no espírito das mulheres e dos homens. Líder da Década Internacional para a Aproximação das Culturas (2013-2022), a UNESCO investe-se totalmente no desenvolvimento de uma cultura de prevenção a nível mundial através da educação, da cooperação internacional e do diálogo intercultural.

O caminho para a paz é longo, mas cabe a todos e a cada um de nós influenciar o seu rumo ao comprometermo-nos, diariamente, em prol de uma sociedade mais inclusiva, mais tolerante e mais justa.

Audrey Azoulay

Unesco-1

Pagina 1 of 9712345...102030...Fim»