Jan 05

Cerimónia de entrega do Selo Europeu para as Línguas 2019

Selo Europeu para as Línguas 2019 entregue na Universidade de Évora

Foi com muita honra que recebi o Prémio Selo Europeu para as Línguas atribuído ao Agrupamento de Escolas D. Maria II, pelo projeto: ”A Trip to our Cultural Heritage” e participei no evento Boas Práticas 2019, que decorreu no dia 10 de dezembro na Universidade de Évora, a convite da Agência Nacional Erasmus+ Juventude em Ação e da Agência Nacional Erasmus+ Educação e Formação. O Agrupamento D. Maria II foi distinguido pela 3.ª vez com este Selo, que premeia as iniciativas inovadoras na Área de Ensino/Aprendizagem das Línguas, o que muito nos orgulha.

Os meus agradecimentos à Agência Nacional Erasmus+ e aos alunos que contribuíram para mais um sucesso no desenvolvimento das Boas Práticas no nosso Agrupamento.

A Coordenadora do Projeto eTwinning e Clube Europeu

Lina Pereira

Projeto: “A Trip to our Cultural Heritage”, aqui

Selo-Europeu-2019-1

Picture 1 of 3

Jan 05

Roteiro Pessoano pela Baixa Lisboeta

No dia 16 de dezembro, as professoras de Português das turmas dos terceiros anos dos Cursos Profissionais de Técnico de Turismo, Técnico de Informática-Sistemas e Técnico Auxiliar de Saúde, acompanhadas pelas professoras de Educação Física e de Programação, percorreram as ruas da Baixa Lisboeta onde, no século passado, Fernando Pessoa nasceu, passeou e trabalhou.

O nosso percurso iniciou-se junto ao Teatro São Carlos, perto da casa onde o poeta nasceu e de onde avistava o sino da igreja que imortalizou no poema que um dos nossos alunos leu.

A nossa visita continuou junto ao café a Brasileira, local de tertúlia e convívio. Subimos o Chiado e passámos pelas ruas onde fomos encontrando vestígios dos locais onde ele viveu e trabalhou. Seguimos até ao Martinho da Arcada e espreitámos pela vidraça para constatar como a sua memória está bem presente nas paredes do restaurante.

Voltámos para o largo do Rossio e, junto da Igreja de S. Domingos, conhecemos o monumento em homenagem aos judeus mortos pela Inquisição.

Nem os chuviscos nos impediram de apreciar e usufruir da cidade que Pessoa tanto amou!

O objetivo da visita foi amplamente conseguido e os alunos tiveram oportunidade de consolidar os conhecimentos adquiridos nas aulas de Português.

Roteiro-Pessoano-1

Picture 1 of 3

Jan 04

VISITA DE ESTUDO AO MUSEU DE HISTÓRIA NATURAL E DA CIÊNCIA

No dia 5 de dezembro de 2019, os alunos das duas turmas do curso de Ciências e Tecnologias da Escola Básica e Secundária de Gama Barros realizaram uma vista de estudo ao Museu de História Natural e da Ciência, em Lisboa.

A Visita foi realizada no âmbito das disciplinas de Biologia e Geologia e Física e Química e com a colaboração da professora de Português. A viagem consistiu, numa primeira fase, com ambas as turmas separadas, num passeio guiado pelo Jardim Botânico, onde se conheceram novas espécies e algumas das suas características.

Em seguida, foi feita uma pequena atividade, em conjunto com um guia, envolvendo minérios, identificando algumas das suas propriedades (como a sua dureza e textura), precedida de uma curta visita a uma exposição do mesmo tema.

Após uma pausa para o almoço, visitou-se a exposição “O MAR VIVO: Ensaio Fotográfico de Hussain Aga Khan”, a exposição histórica e participativa de Física, onde se pôde “brincar estudando” física e, finalmente, o Amphiteatro e Laboratório Chimico da Escola Politécnica, onde foram tiradas algumas fotografias de turma.

A última paragem, para terminar o dia em grande, foi a XXXIII Feira Internacional de Minerais, Gemas e Fósseis. Alguns dos nossos colegas até tiveram a sorte de aparecer na televisão!

Notícia redigida pelas alunas Ana António, Beatriz Fernandes e Beatriz Rações do 10.º CT2

Visita-Museu-1

Picture 1 of 3

Dez 30

Ação Agrupamento Contra a Gripe

A epidemia de gripe continua em fase crescente em Portugal e as previsões apontam para que o pico da epidemia ocorra entre a última semana de 2019 e meados de janeiro de 2020.

Para já, as crianças e os jovens têm sido os grupos mais afetados, ao contrário de outros países da Europa, onde o tipo de vírus predominante é diferente do que está a circular com maior frequência em Portugal.

Até agora, o Instituto Nacional de Saúde (INSA) detetou a circulação de vírus da gripe dos tipos A e B, em que predomina o B, de uma determinada linhagem. A Direção-Geral da Saúde (DGS) indica que esses vírus estão contemplados na vacina da gripe que está a ser dada no Serviço Nacional de Saúde (SNS). Recomenda-se, pois, a vacinação dos mais velhos e dos outros grupos populacionais com problemas de saúde que justifiquem essa vacinação.

Dez 20

Cerimónia do hastear da Bandeira Verde na Gama Barros

No dia 9 de dezembro de 2019, pelas 13 horas e 30 minutos, realizámos a cerimónia do hastear da Bandeira Verde do Eco-Escolas e comemorámos o Dia do nosso Patrono, Henrique da Gama Barros. Para além desta bandeira, também fomos galardoados com a Bandeira do Projeto Etwinning, sendo este o motivo que levou as duas coordenadoras de cada projeto, Rosário Portugal e Lina Pereira respetivamente, a comemorarem, numa única cerimónia, estes prémios que tanto nos orgulham. A professora Lina Pereira também entregou os certificados e uma pequena lembrança aos alunos por terem participado no desenvolvimento do projeto por ela coordenado. A Coordenadora do Eco-Escolas presenteou os alunos que ganharam o concurso interno do Cartaz Eco-Código.

Na cerimónia estiveram presentes a turma do 2.º ano do curso profissional de Técnico de Informática e Sistemas (PTIS) e a turma 1.ª do 6.º ano acompanhadas pelos respetivos professores. Esta última abrilhantou a cerimónia com três canções alusivas ao ambiente. De início estavam um pouco envergonhados, mas depois encheram os peitos de ar… e cantaram em coro muito afinadinhos, pois foram muito bem ensaiados pela professora de Educação Musical, Gisela.

Tivemos igualmente a presença do professor Adérito Cunha, Representante no Conselho Pedagógico do Agrupamento dos projetos desenvolvidos na Escola, a professora Marlene Serras, Representante no Conselho Geral do Agrupamento, um Representante do Departamento do Ambiente da Câmara Municipal de Sintra, Arquiteto Pedro Flores e do nosso Diretor, professor António Gouveia, que discursou sobre o propósito desta cerimónia. Neste discurso foram enfatizadas as preocupações constantes da nossa escola em incutir as boas práticas ambientais aos nossos discentes, contribuindo para o seu desenvolvimento como cidadãos conscienciosos.

Mantendo o mesmo slogan: Vamos todos colaborar para o ambiente melhorar e, mais um ano, a Bandeira Verde hastear!

Os meus agradecimentos a todos os presentes bem como aos alunos que têm contribuído para o sucesso no desenvolvimento do Eco-Escolas na Escola Básica e Secundária de Gama Barros.

A Coordenadora do Eco-Escolas,

                                                                     Professora Maria do Rosário Portugal

dav

Picture 1 of 7

Dez 17

Campanha “Mochila Esperança II”

A campanha “Mochila Esperança II” é uma resposta às condições em que uma parte significativa da população de Moçambique, sobretudo da região do Dondo, está a viver atualmente. O ciclone IDAI veio avolumar as carências de famílias inteiras que, dia após dia, esperam ansiosamente a ajuda do Mundo, que à distância acompanha o limiar de pobreza em que nessa região de África se vive.

Esta campanha, que foi lançada pela Associação Apoiar, teve vários colaboradores entre os quais o Grupo EDP, instituição a que o Agrupamento de Escolas D. Maria II teve o prazer de se associar na angariação dos bens solicitados.

Esta ação solidária deu lugar, no Agrupamento, a um segundo gesto humanitário para com este povo africano, resultando numa oportunidade de lhe dizermos que são também nossas, as suas preocupações. Prezamos os valores da vida, da dignidade do Ser Humano, da solidariedade e, por este facto, move-nos este sentimento de ajuda ao próximo.

Participaram, na campanha, vários professores e alunos: a docente Celeste Gonçalinho divulgou, coordenou e participou com a sua turma do 10.º AV1 na campanha e entregou os Kits, num dos pontos de entrega da EDP, com o professor António Silvano;

O professor José Mateus contribuiu, com a sua ajuda, na organização dos Kits e ofereceu um conjunto significativo de materiais para este fim;

A docente Angelina Fortes organizou, com a professora Celeste Gonçalinho, os materiais e angariou donativos com os alunos das suas turmas;

As docentes Helena Melo, Marlene Serras, Filipa Macedo e Ana Caixinha participaram, respetivamente, com as turmas do 10.º CT1; 10.º CT2; 3.º PTAS e 7.º 8.ª;

A professora Luisa Nunes participou com as turmas 9.º 4.ª e 7.º 3.ª, as docentes Rosário Portugal e Elsa Barreto com a turma do 2.º PTT e a professora Fernanda Ramires com alunos das suas turmas;

Participaram também as alunas Liliana e Mariana Barroso do 11.º AV1.

Foram entregues 57 kits completos, dez incompletos e onze cadernos.

A todos agradeço, em meu nome e das crianças de Moçambique, a generosidade e a boa vontade demonstradas e colocadas ao serviço de quem mais precisa, através desta cooperação.

Quem sabe se um dia, teremos o retorno dos nossos gestos!

Um abraço enorme, para todos Vós, desejando umas Boas e Felizes Festas de Natal e de Ano Novo.

Bem hajam!

A docente Celeste Gonçalinho

Campanha-II-1

Picture 1 of 10

Dez 17

A reação com ácidos que pode afetar milhões de pessoas

No âmbito da Expo Solos e da Expo Rochas e Minerais, do Projeto Exploratório, realizadas no 1.º período letivo, os alunos do 5.º ano já fizeram experiências em que observaram a reação de ácido com calcário, pela manifestação de efervescência, correspondente à libertação de bolhinhas de CO2, como as que se libertam das bebidas gaseificadas.

Essa reação é a mesma que acontece com as conchas e esqueletos dos organismos dos recifes, cuja composição, por substâncias como as dos calcários, faz com que reajam com ácidos, alterando-se e causando a morte desses organismos.

A acidificação dos oceanos está a ser provocada pelo aumento de CO2. Uma parte desse gás reage com a água do mar para formar um ácido, reduzindo o pH dos oceanos.

Os recifes formados por organismos com conchas ou esqueletos, como ostras ou corais, são sensíveis a essa mudança do pH dos oceanos, da acidificação. Os recifes degradados fornecem menos proteção costeira e menos habitat para peixes e moluscos, nomeadamente os que são comercialmente importantes. Ou seja, a acidificação causada pelo aumento do CO2 nos oceanos pode afetar economicamente as regiões atingidas e, consequentemente, afetar milhões de pessoas.

Projeto-Exploratorio-1

Picture 1 of 2

Dez 11

JANTAR INTERCULTURAL dos Cursos EFA

Convidam-se os formandos EFA e seus familiares, docentes e assistentes operacionais para o jantar intercultural a realizar no dia 17 de dezembro, pelas 20:00h, no Refeitório.

Cada participante deverá trazer um prato típico (de preferência do país de origem), bebida e/ou sobremesa, de forma a partilharmos a diversidade de sabores.

Haverá música (basta trazer uma pendrive com música gravada) e funcionará a quermesse “Sai sempre”.

Dez 11

71 anos após a Declaração Universal dos Direitos Humanos

A Declaração Universal dos Direitos Humanos foi proclamada no dia 10 de dezembro de 1948 pela Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU).

Este documento tornou-se um marco na história da humanidade, por consagrar os direitos universais do ser humano, independentemente da cor da pele, raça, religião professada, crenças, origens, idade, género ou condição sociocultural. Segundo a Declaração Universal dos Direitos Humanos, todos somos iguais perante a Lei, em direitos, e embora sem caráter de obrigatoriedade, propõe, através do ensino e da educação o respeito pelos princípios constantes no documento, como um ideal comum a todos os povos e nações. Cada cidadão ou órgão da sociedade deve-se encorajar e esforçar por promover uma cultura fundada nesses valores, que visam uma cultura de paz. 

Neste contexto, no âmbito da Cidadania e Desenvolvimento e na disciplina de Português, os alunos do 10.º AV1, refletindo sobre as ideias e princípios aí constantes, realizaram um expressivo mural que reflete as suas preocupações relativamente a estes princípios.

O mural encontra-se exposto no pavilhão D.

Direitos-Humanos-1

Picture 1 of 5

Dez 11

Mares e Oceanos

O limite entre mar e oceano é muito delicado, sendo comum, quer em notícias ou conversas, muitas pessoas utilizarem as palavras de mar e oceano como se fossem sinónimos. 

Essa confusão acontece pelo facto de tanto o mar quanto o oceano se referirem a porções vastas de água salgada. No entanto, precisamos compreender que cada um possui um significado diferente.

Nem toda a porção de água é chamada de oceano: existem mares, canais e golfos.

A diferença entre os mares e os oceanos está na sua extensão territorial. Os primeiros são menores, localizados em áreas costeiras e ligados de forma direta, ou indireta, com os oceanos. Os oceanos ocupam grandes extensões e são delimitados por porções de terra. Estes são muito profundos, sendo que até aos nossos dias a Humanidade não conseguiu chegar, ou transportar, qualquer equipamento até ao ponto mais profundo, que pode ir até milhares de metros.

Os oceanos existentes na Terra concentram cerca de 97% do total de toda água do planeta Terra, também conhecido como o Planeta Azul.

Este cognome explica-se de uma forma esclarecedora: quase 3/4 do Planeta Terra são cobertos por água (cerca de 71%). Toda esta água divide-se em mares menores e cinco oceanos (Índico, Pacífico, Atlântico, Glacial Ártico, Glacial Antártico), divididos por continentes e grandes arquipélagos, de acordo com dados da Organização Hidrográfica Internacional.

Os oceanos são ainda o principal regulador térmico do planeta, absorvendo mais de um quarto do dióxido de carbono libertado pelas atividades humanas.

Cada vez mais, as massas de água do planeta estão a sofrer com as alterações climáticas, decorrentes sobretudo de ações humanas que, aos poucos, estão a modificar de maneira substancial a configuração natural do planeta.

Com o Aquecimento Global, o volume de água dos oceanos e mares tem aumentado nos últimos anos, resultante da fusão dos glaciares.

As poluições biológicas, físicas e químicas, provocadas pelo excesso de lixo, resíduos tóxicos, plástico e outros fatores bem como aos desastres ambientais nos mares (por exemplo, derramamento de petróleo), tem contribuído para a  morte de diversas espécies e, consequentemente, ao desequilíbrio ambiental.

Ambientalistas alertam para a importância de preservar a água do planeta, essencial para a sobrevivência de muitas espécies animais e vegetais.

Este ano a nossa Árvore de Natal Temática e Presépio, denominada “Mares e Oceanos”, organizada pelos alunos e alunas das turmas 2.ª do 7.º ano de escolaridade,  1.ª e 2.ª do 8.º ano de escolaridade e 5.ª do 9.º ano de escolaridade, sob orientação da professora Angelina Fortes e da professora Filipa Silva, do Grupo de Recrutamento 510. O que nos motiva é: sensibilizar para os problemas ambientais e para a questão da poluição dos mares e oceanos; despertar a curiosidade para uma participação ativa na procura de possíveis soluções. Enquanto “Cidadãos do Mundo” temos a responsabilidade de cuidar dos recursos disponíveis e utilizar os mesmos com cuidado, pensando na sustentabilidade e no futuro! É um desafio para todos! Para preservar os mares e oceanos bem como as suas belezas naturais, não devemos ficar indiferentes!

Visite a nossa Árvore na sala “Laboratório de Física”, situada no pavilhão D!

(Adaptado de https://www.aguasdoalgarve.pt, https://www.aguasdeportugal.pt)

Natal-Mar-e-Oceanos-1

Picture 1 of 4